Educação patrimonial valoriza cultura local e contempla mais de 500 alunos

06/12/2018 06h12
CG Notícias CG Notícias

Parceria entre a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Secretaria Municipal de Cultura (Sectur), contemplou, este ano, 520 alunos de oito escolas da Rede Municipal de Ensino (Reme). O balanço foi apresentado nesta quarta-feira (5), durante encerramento da ação, que aconteceu na Unigran (Centro Universitário da Grande Dourados).

O projeto, que retomou a parceria entre as duas secretarias em 2018, dando continuidade a ações de fomento no campo da Educação Patrimonial, teve a preocupação de em ter como base o Plano Municipal de Cultura e a contemplação das metas na área de Patrimônio Cultural. Elaborado em 2009, com período de implantação 2010-2020, o Plano foi construído em concordância com o Plano Nacional de Cultura e em conjunto com a sociedade civil, considerando suas demandas.

O objetivo foi desenvolver políticas públicas culturais com enfoque na valorização da cultura local e regional, buscando consolidar a relação entre cultura e desenvolvimento. Outro fator relevante que incentivou a retomada da ação, foi o Projeto Reviva Campo Grande, que tem como foco a revitalização da Rua 14 de Julho.

Com isso, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer sua importância histórico-social, além do patrimônio cultural material nela abrigado, responsável por grande parte do desenvolvimento local.

O resgate dessa trajetória, de acordo com os executores do projeto, promoveu nos alunos, reflexões sobre a influência do passado nos dias atuais e projetou o impacto das ações do homem no futuro. De acordo com ela, essa dinâmica demonstra a importância de se trabalhar a Educação Patrimonial visando a preservação do patrimônio cultural em Campo Grande.

A diretora-executiva da diretoria de Projetos Estratégicos da prefeitura, Catiana Sabadin, fez um balanço do que foi executado pelo projeto Reviva Centro até o momento e destacou a importância da obra e da valorização da região. "A região urbana de Campo Grande perdeu, nos últimos dez anos, 15% da sua população e esse processo precisa ser revertido para evitar perdas na economia. Por isso a prefeitura está fazendo um investimento tão importante na infraestrutura da região", afirmou.

A secretária-adjunta de Cultura e Turismo, Laura Miranda, disse que o projeto tem um papel importante que é o de transformar os alunos em multiplicadores dessa campanha de valorização do patrimônio cultural da cidade. "Vocês irão disseminar aos demais tudo de bom e de valor que aprenderam este ano. Vocês são as sementinhas disso. É importante saber que Cultura não é só eventos e shows, é mais do que isso. É valorização daquilo que se tem e do que se ama e vocês são a base disso", pontuou.

Para a secretária municipal de Educação, Elza Fernandes, o projeto é importante, pois conta a história da cidade aos alunos. "Muitos desconhecem os fatos, a origem do lugar onde vivem. Ficamos muito gratos em fazer parte dessa iniciativa", ressaltou.

O aluno Victor Hugo Alencar Sena Chaves, 14, da escola municipal Eduardo Olímpio Machado, conta que a visita ao centro da cidade foi um aprendizado. "Gostei muito das mudanças que estão sendo feitas porque agora tem mais espaço para os pedestres e a gente vai poder visitar a região com mais conforto", disse.

Já a aluna Laiane Stocco Lima Conegero, 14, ressaltou que a visita realizada com a escola ao centro da cidade fez com que ela aprendesse a observar melhor os detalhes dos prédios. "Nessas construções está a memória do passado que continua viva nesses prédios. Nós aprendemos a observar esses detalhes que passam despercebidos", enfatizou.

Etapas

O programa de Educação Patrimonial é constituído em cinco etapas, que tiveram início com a formação dos professores parceiros, por meio de encontros pedagógicos.

Na sequência houve palestra sobre o Patrimônio Cultural e exposição fotográfica na Rua 14 de Julho, além de levar os profissionais da Reme, junto aos alunos, às obras de revitalização e aos edifícios históricos da 14 de Julho.

Os professores da Rede Municipal de Ensino receberam palestra dos técnicos do IPHAN e Sectur, através da formação pedagógica para capacitação e formação quanto ao tema. Já na exposição de fotos, pertencentes ao ARCA (Arquivo Histórico de Campo Grande), foi mostrado um panorama da 14 de Julho ao longo da formação da cidade.

As visitas foram feitas nas obras de revitalização da região central, bem como aos edifícios históricos com interesse de preservação. Os alunos foram conduzidos pela Rua 14 de Julho, mediados por técnicos da Sectur e da Semed, com o objetivo de vivenciar na prática a observação dos elementos que compõem o centro histórico de Campo Grande, dentre eles a acessibilidade, arborização, calçamento, fiação, lojas e edifícios históricos.

CG Notícias

 

Envie seu Comentário