Cemitérios turísticos e por que conhecê-los

03/12/2018 12h13
Divulgação Assessoria Divulgação Assessoria

A morte nos faz refletir sobre a vida. E refletir sobre a vida, por sua vez, nos faz ter sempre novas ideias sobre o que é a morte. E que lugar melhor para contemplar ambos os lados da vida senão em um cemitério, que abriga a ambas?

Parece estranho, não parece? Mas as visitas guiadas a cemitérios históricos têm se tornado mais comuns a cada dia. Vistas por especialistas como uma oportunidade de admirar grandes obras e aprender mais sobre a vida de importantes personalidades históricas locais, essas visitas já chegaram até a se tornar uma aula, literalmente, como aconteceu em agosto desde ano no Rio Grande do Sul: alunos do Colégio Batista visitaram o maior destino das coroas de flores em Porto Alegre, o cemitério da Santa Casa de Misericórdia, com seus professores e aprenderam mais sobre figuras importantes da história gaúcha, arte e arquitetura em um único lugar.

Cemitérios como instrumentos de cultura

Desde a popularização dos chamados cemitérios parques, que chegaram ao Brasil na década de 60, há um esforço para mudar o estigma criado sobre as necrópoles como lugares sinistros, soturnos, mal assombrados e fúnebres. Os cemitérios dessa categoria se caracterizam por seu ambiente vasto e agradável, como um grande campo ou parque, onde se vai não só para visitar entes queridos, mas para dar um passeio. As tumbas sempre abaixo da terra tiram a impressão pesada que os grandes túmulos dão a esses locais.

Mas não apenas os cemitérios parque são pontos turísticos, os cemitérios horizontais -- ou tradicionais, como conhecemos -- também atraem cada vez mais curiosos e estudantes. Considerados grandes museus a céu aberto, cemitérios como o Cemitério da Consolação, em São Paulo, promovem visitas guiadas já há mais de uma década. Além de suas riquezas arquitetônicas, é possível aprender mais sobre personalidades importantes que estão ali enterradas, como Monteiro Lobato, por exemplo.

Um outro cemitério brasileiro muito famoso por seus passeios culturais é o Cemitério Municipal São Francisco de Paula, em Curitiba. A ideia das visitas veio da pesquisadora Clarissa Grassi e visa, além de desmistificar o ambiente, incluir o cemitério na lista de patrimônios culturais do Paraná, não perdendo em nada para casas de cultura, prédios históricos e museus importantes.

Entre os mausoléus mais visitados, estão o da santa popular Maria da Conceição Bueno e a lápide do Capitão João Alexandre Busse.

E aí, tem coragem?!

 

Envie seu Comentário