Descontos oferecidos por universidades barateiam segunda graduação

13/03/2018 11h54
Divulgação/Assessoria Divulgação/Assessoria

Fazer uma segunda graduação pode ser uma forma de complementar os conhecimentos obtidos no primeiro curso ou até mesmo iniciar uma nova profissão. Há vários benefícios ao realizar um novo curso, desde novas oportunidades no mercado de trabalho até condições favoráveis de pagamento e de ingresso na universidade.

Uma forma de economizar tempo e dinheiro em uma segunda graduação é eliminar disciplinas já cursadas. Em muitos cursos correlatos, é possível realizar essa reorganização de grade curricular. Quem está na área de comunicação, por exemplo, pode eliminar cadeiras básicas como sociologia, filosofia e língua portuguesa. Se a mudança de área for radical, pode ser mais difícil, mas vale a pena verificar com a instituição de ensino. Com essa medida, você também pode reduzir drasticamente o tempo que ficará na universidade -- muitas vezes, até 50% do tempo total do curso.

As universidades também oferecem uma série de incentivos para quem quer fazer uma segunda graduação, desde bolsas de estudo, formas de financiamento e descontos automáticos no reingresso ao Ensino Superior. Informe-se sobre as condições oferecidas pela instituição aos estudantes que vão fazer um novo curso para aproveitar essa oportunidade e baratear ainda mais os estudos.

Em 2009, houve uma tentativa de tornar a segunda graduação mais barata para o estudante por meio de lei. O PL 5127-2009, do deputado Dr. Talmir (PV-SP), previa alterar a lei 9870/1999, que dispõe sobre o valor total das anuidades escolares. Dessa forma, seria oferecido um desconto de 20% no valor da matrícula e das mensalidades ao aluno de instituição de Ensino Superior que já seja diplomado em outro curso superior. O projeto de lei chegou a ser aprovado pela comissão de educação, mas permaneceu em trâmite na câmara dos deputados até 2011, quando o PL foi arquivado.

Mesmo sem uma lei específica sobre o assunto, várias instituições oferecem benefícios e boas condições para o estudante que deseja reingressar no Ensino Superior. Esses descontos variam de 20 a 30% e podem chegar até a 50% em alguns casos. Outra opção é o financiamento estudantil (Fies), oferecido pelo Ministério da Educação a juros baixos para que o estudante possa pagar a graduação depois de formado. Mas, nesse último caso, quem ainda não se formou é que tem a preferência de conseguir o financiamento.

Assessoria de Imprensa

 

Envie seu Comentário