O elo sustentável entre consumidores e empresas

06/05/2019 10h23 - Por: Giorgeo Zanlorenzi

Em um momento em que a responsabilidade social ganha cada vez mais força na relação entre empresas e sociedade, os consumidores têm procurado marcas, produtos e serviços que estejam identificados com suas ideologias. Desta forma, companhias que optam por políticas de impactos sociais e ambientais positivos não só atraem novos consumidores, como também conseguem fidelização.

Uma boa demonstração desta relação entre consumidores e empresas é uma pesquisa recente do Sistema Fiep, que aponta que 87% dos brasileiros preferem comprar produtos e serviços de empresas sustentáveis. Este comportamento indica que o consumidor está mais preocupado em assumir o protagonismo no processo de exigir e agir pela qualidade de vida, enxergando que a melhor forma de exercer este papel é adquirindo mercadorias de companhias que representem suas ideologias e que tenham comprometimento com o meio ambiente.

Um caso interessante desta prática está nas ações diárias da Campo Largo, tradicional marca de bebidas saudáveis, que acaba de conquistar o selo de Empresa B – concedido a um seleto grupo de companhias globais que visam o desenvolvimento social e ambiental como modelo de negócios.

PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS

Agricultura familiar e empregabilidade local: um dos principais pilares da organização na industrialização das bebidas é a utilização de matéria prima proveniente da agricultura familiar no município de São Marcos (RS). São mais de 2 mil famílias que contam com acompanhamento técnico, do plantio à colheita; disponibilização de mudas; consultoria para expansão de negócios e capacitação para boas práticas ambientais. Neste contexto, a companhia auxilia a economia local, contribuindo para a geração de renda na comunidade.

Reaproveitamento de matéria-prima: durante a cadeia produtiva das bebidas, não são todas as partes das frutas e vegetais que se transformam em suco, sendo necessário o descarte de cascas, sementes e cabos. Para garantir o melhor aproveitamento dos insumos, tudo o que é descartado é utilizado em processos de compostagem e co-processamento, gerando adubo e alimento para os animais. Dois exemplos disso estão no bagaço da laranja, que é reaproveitado para agregar nutrientes à ração de gados e, também, os cabos das uvas que, por serem ricos em nitrogênio, são transformados em adubo orgânico natural que é reaproveitado no próximo ciclo de produção. Entre os principais benefícios desta prática estão as vantagens ambientais, como a criação de macronutrientes essenciais para o crescimento das plantas.

Gestão de resíduos industriais: todos os produtos usados pela empresa utilizam, prioritariamente, insumos recicláveis, gerando o menor impacto possível para o meio ambiente. A companhia ainda realiza o co-processamento de resíduos sólidos, para que sejam descartados o mais próximo possível de seu estado inicial.

Percentual das vendas para reciclagem: por meio de parceria com a EuReciclo, instituição que certifica a compensação ambiental das embalagens que a empresa coloca no mercado, uma porcentagem das vendas anuais da Campo Largo também é destinada para as cooperativas de reciclagem, garantindo que o volume equivalente a toda embalagem utilizada na empresa seja reciclado e não gere impactos ambientais negativos.

Educação para uma vida mais saudável: quanto mais cedo as crianças aprendem sobre a importância da alimentação saudável e da sustentabilidade, mais conscientes e responsáveis elas crescem. Para propagar este conceito, a empresa recebe alunos de escolas de sua região para conhecerem as suas instalações e aprenderem sobre saúde e sustentabilidade.

Mesmo com todas essas práticas e a preocupação com o meio ambiente, a companhia também entende que é preciso "olhar pra dentro". Para ser sustentável e, ao mesmo tempo, entregar produtos com qualidade ao mercado, é necessário atentar-se para o que pensam os colaboradores e stakeholders, que são peças fundamentais neste processo. É assim que, nos últimos anos, muitas companhias têm percebido que, quanto mais transparência elas passarem aos funcionários, maiores serão as chances de impulsionar produtividade, resultados e lucro.

Por fim, o conjunto de todos esses procedimentos são capazes de tornar uma empresa referência em práticas sustentáveis que acabam impactando positivamente o meio ambiente, sociedade, colaboradores, mercado e, consequentemente, o consumidor final.

Giorgeo Zanlorenzi é presidente da Zanlorenzi Bebidas

 

Envie seu Comentário