Navegar

26/01/2019 15h35 - Por: Dirce Ruiz Braz
Imagem Pixabay Imagem Pixabay

Estamos sempre a navegar e navegar. Às vezes mar calmo, outra, mar revolto. Como você se comporta diante das vicissitudes da vida? Procura manter a calma, o equilíbrio e a certeza de que todas as lutas fortalecem o espírito. Cada ano que passa é uma vivência nova, onde se cria e recria. Recriar é ter noção de tempo e espaço.

O tempo deve ser aproveitado da melhor forma possível, se não for, não adianta reclamar da vida. Os dias se vão independente da postura de cada ser. Se chora, ri, reclama, aceita, não aceita. Ao final, olhe para si mesmo. O que enxerga? Gosta do que vê, ou não? Pode melhorar! Em tudo existe um propósito e dele devemos tirar o melhor proveito no desenrolar da nossa existência. Como as rendeiras, que através de um rolo de fios e um tear criam peças maravilhosas.

O espaço da convivência é formado pelas suas realizações. O plano da boa palavra, como encara seu dia para que a paz possa reinar em todas as direções. Assim, o dia será perfeito. Não culpe ninguém pelos fracassos. Levantar a cabeça significa Recomeçar! Se mostre para um novo caminho e ele se mostrará a você. Às vezes estamos tão atribulados que a nossa visão só identifica apenas um mar profundo e tenebroso. A primeira coisa sensata é libertar-se, se alegrar com que Deus nos oferece. Alguém pode dizer: O que Deus me oferece? Tudo! O dia, a noite, saúde, inteligência, capacidade, a vida, assim, juntar tudo isso e preparar-se para crescer. A semente cresce no campo porque o agricultor a jogou, mas antes preparou o terreno para ela poder germinar.

O que você faz do seu solo interior?

Como o abastece? De ódio, ou Amor?

Se for o Amor seu alimento, então tenha a certeza que tudo dará certo.

Então navegue! Enfrente suas ondas!

Presidente da Abrapec, jornalista e escritora Dirce Ruiz Braz

 

Envie seu Comentário