Incorporadoras apostam em benefícios ao consumidor para ampliar vendas

08/05/2019 22h43
Crédito: divulgação/Assessoria Crédito: divulgação/Assessoria

O setor imobiliário lança mão de diversos artifícios para atrair mais clientes e alavancar a compra e venda de casas e apartamentos. Algumas estratégias são mais agressivas, enquanto outras apostam no produto e nas facilidades para a escolha do imóvel. Todos esses benefícios também são influenciados pela reabertura da linha de financiamento dada por algumas instituições financeiras.

A caixa Econômica Federal (CEF) é uma delas. Em 2018, o banco aumentou o teto para a compra de imóveis com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). As medidas entraram em vigor em 2019 e permitem o financiamento de imóveis de até R$1,5 milhão. O anúncio fez parte de um pacote de iniciativas do governo para impulsionar o setor da construção civil. As incorporadoras utilizaram esse benefício para atrair novos clientes e alavancar a venda de imóveis.

Algumas empresas foram além e adotaram uma estratégia mais agressiva. Em muitos casos, o cliente tem a opção de dar carros e jóias como entrada para a compra de imóveis de alto padrão. É uma espécie de permuta na qual o valor do bem é subtraído do custo das casas à venda. Algumas incorporadoras também chegam a oferecer isenção de IPTU, condomínio e contas e de água e luz para os novos proprietários durante um certo período.

Mesmo com todos esses benefícios, o valor do imóvel não cai por conta das facilidades.

Para encantar os apaixonados por experiências, as incorporadoras também investem em novas estratégias para vender os imóveis. O objetivo principal, nesse caso, não é o produto e sim a trajetória que o consumidor percorre antes da tomada de decisão. Stands de venda interativos e com recursos como realidade virtual, descontos oferecidos por algum aplicativo com estabelecimentos parceiros do empreendimento e maquete em 3D do apartamento são alguns mimos dados pelas incorporadoras aos clientes.

Mas a inovação não está só na forma de vender o imóvel. As construtoras também estão investindo em um novo estilo de moradia, chamado de studio. São apartamentos mais compactos (até 30 m²), vendidos para pessoas mais jovens e normalmente solteiras. Em contrapartida, o cliente tem uma grande quantidade de serviços no condomínio, como área para lavar roupas, piscina, sauna e academia, além de contar com um prédio projetado com as mais novas tecnologias do mercado.

Assessoria de Comunicação

 

Envie seu Comentário