Serviço de Educação em Saúde é ferramenta estratégica contra o mosquito

10/05/2019 10h10
Escreva aqui a legenda da foto Escreva aqui a legenda da foto

Instituído oficialmente no dia 5 junho do ano passado, o serviço de Educação em Saúde da Coordenadoria de Controle de Endemias Vetorias (CCEV) da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU) carrega o "status" de ser polivalente. De maneira lúdica, direta e eficiente, os servidores fazem da informação uma ferramenta para propagar a importância da prevenção e da necessidade da união de esforços, principalmente no combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Seja nas ações realizadas nas escolas da rede pública ou privada, ou até mesmo nos assentamentos e igrejas, o objetivo é aproximar e despertar no público, seja ele criança, adulto ou idoso, o espírito de coletividade.

Nas Escolas de Educação Infantil (EMEIs), os servidores apostam no teatro de fantoches. Uma forma lúdica e com linguagem apropriada e acessível para chamar a atenção dos pequenos.

De acordo com a chefe do serviço, Silvia Cristina de Souza, somente este ano foram realizadas cerca de 150 ações. "Temos o trabalho com o fantoche para os pequenos, mas também fazemos o teatro para os maiores, além da orientações de prevenção não só nas escolas, mas em empresas, centros comunitários, empresas e comércio em geral", complementa.

A servidora comemora a aceitação do serviço, o que ajuda, inclusive, a aproximar ainda mais a comunidade. "A aceitação é muito boa, as crianças adoram. Eles interagem e até nos contam como está a residência deles em relação aos cuidados com o aedes", diz.

O serviço é composto por 11 agentes que são divididos por regiões ficam encarregados de estabelecer e executar o cronograma de visitas nas escolas, empresas, igrejas, condomínios, supermercados e organizar as palestras educativas e gincanas que são realizadas nestes locais.

CG Notícias

 

Envie seu Comentário